terça-feira, 23 de julho de 2013

Ser Criador ( homenagem aos meus amigos criadores)


Quem é criador já nasce criador. É algum gene recessivo e misterioso que aparece numa criança de uma família onde, às vezes, só lá um ou outro gosta de cachorro.
O primeiro sintoma surge cedo, naquele dia em que a criança interrompe a paz de um almoço no lar e faz os pais engasgarem com o insólito pedido:
- Quero um cachorro !

Pronto, começou o inferno dos pais e do mini-criador. É logo levado a uma magnífica loja de brinquedos, podendo escolher o que quiser, desde uma bicicleta até aquele carrinho cheio de luzes e sirenes.
- Quero um cachorro!


Ganha o carrinho e mais um monte de presentes, para ver se esquece do cachorro. Mas não tem jeito.
Ganha tartaruga, jabuti, periquito, canário e até um hamster, mas nada disso satisfaz a ânsia de criador que já nasce em sua alma numa intensidade que assusta toda a família.
Se der sorte, ganha seu primeiro cachorro. Se não, vai ter mesmo que esperar crescer.
Aí, enfim, livre das amarras familiares, começa a mergulhar fundo na criação. Vem a primeira fêmea, o sufoco do primeiro parto, o acompanhamento dos filhotes, o medo da parvovirose, da coronavirose, assustado resolve:
- Não fico com nenhum!

A ninhada cresce, começa a reconhecer o dono, a abanar o rabinho e pronto! A decisão, antes inabalável, sofre o primeiro impacto. Daí a uns dias, a resolução já é outra:
- Não me desfaço das fêmeas; só saem os machos.
Começou sua longa jornada de criador através deste mundo-cão. Daí para frente, passa a vida trocando jornais, fazendo vigília ao lado das cadelas que estão para parir ou dando remédio aos filhotes mais fracos.
A ninhada cresce, começa a reconhecer o dono, a abanar o rabinho e pronto! A decisão, antes inabalável, sofre o primeiro impacto. Daí a uns dias, a resolução já é outra:
- Não me desfaço das fêmeas; só saem os machos.
Começou sua longa jornada de criador através deste mundo-cão. Daí para frente, passa a vida trocando jornais, fazendo vigília ao lado das cadelas que estão para parir ou dando remédio aos filhotes mais fracos.
O criador vai se afastando do mundo dos homens e admite mesmo:
- Não gosto de gente...
Programa de criador é visitar ninhada dos outros, pegar cachorro no aeroporto, levar às exposições ou pendurar-se no telefone e/ou e.mail para conversar com seus amigos criadores... sobre cachorros.
As compras de um criador também são diferentes das compras de um ser humano comum: shampoos, cremes, anti-estáticos, óleos, gaiolas, enfeites... mas tudo para cachorro. 
Se algum amigo viaja para o exterior e cai na asneira de perguntar: "...Quer que traga alguma coisa para você?...", recebe logo as mais estranhas encomendas: máquina de tosa, lâminas, escovas, pentes... e tudo para cachorro.
Casa de criador é toda engatilhada, cheia de grades aqui e ali, protegendo portas e janelas. A decoração muitas vezes fica prejudicada com a presença de gaiolas e caixas de transporte na sala e nos quartos.
Mas o criador não está nem aí e, como quem freqüenta casa de criador é criador também, ninguém liga mesmo.
O carro do criador também não pode ser qualquer um. De preferência um utilitário com bastante espaço interno para caberem os cachorros e as tralhas todas nos dias de exposição ou um carro menor sem o banco de passageiros que não é tão necessário, mas o espaço é indispensável.
Cônjuge de criador tem que ser criador também, ou a união pode sofrer sérios abalos e quando chega aquela hora fatídica, no meio de um bate-boca, em que o outro dá o ultimato: "...Ou os cachorros ou eu!...", o criador certamente vai optar pelos cachorros.
Velhice de criador é cheia de preocupações.
- Vou morrer, e quem cuida dos meus cachorros?
Resolve, então, não criar mais nada e reza para que todos os seus cães partam antes dele, mas o coração não agüenta e, daqui a pouco, arranja outro filhote para cuidar, estribado na promessa de alguém que garante ficar com o cachorrinho em caso de morte do criador.
E, como ser criador é “padecer no Paraíso”, acredito que o bom DEUS, na sua infinita misericórdia e eterna sabedoria, já tenha providenciado um céu só para os criadores onde eles, junto com todos os seus cães, seus amigos criadores, handlers, juízes, veterinários etc., possam, enfim, levar uma vida tranqüila e cheia de paz.
Mas, como muita tranqüilidade acaba ficando monótono, logo o criador fica espiando de longe o mundo dos homens, cheio de saudade, já pensando em voltar para cá e começar tudo de novo......
- E foi bem assim que tudo começou !!!!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Ficou lindo né!


                                                           Um trabalho de Marco Peron. Adoramos!

terça-feira, 4 de junho de 2013

Simplesmente Gu.

Gustave Of Uttopia Dream, nosso amado padreador.
Filho de Funky of Uttopia Dream e Flash Back Du Clo´s de Athenas. Ambos Franceses.

sábado, 25 de maio de 2013

AMANHÃ TEM ENCONTRO!!!


DIA AGRADABILÍSSIMOS, COM PESSOAS QUE AMO, COM OUTRAS QUE VOU CONHECER!
DE NOITE POSTO FOTOS!!!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Nossos encontros!

Oi gentem e chis!!!

Para quem não sabe, já faz um tempinho que nós, uma galera amantes de chihuahuas, nos encontramos no Parque Ibirapuera para levar nossos chis pra brincar e se socializar, e claro, a gente vai para babar nos chis dos outros ( nas gracinhas dos nossos também!).
E ao longo dos anos, fomos fazendo amizades, nessa época eu nem criava, tinha apenas a Conchitta, marcávamos encontro pelo finado Orkut.
Eu, Katia, Alessandra, Bárbara, Cristiane, Larissa ( qu sumiu) e o grupo foi crescendo, e se Deus quiser crescerá muito mais!


Esse foi nosso encontro de fevereiro!

 Nossa faixa, feita com tanto carinho, e a degustação da galera do La Pet Cuisine, com comida congelada para cachorro, delicinhas!
 Eu com minha amada Najla!

Lilian mãe da Maya, Katia com Heloisa, Alessandra com meu Gustave e sua menina Sofia (será que acertei?) e eu com Aloha, da Patricia, meu eterno amor.

E saímos na revista!!!
Cães amigos de Abril/maio




Momentos deliciosos, em que cada um estrapola mostrando seu amor, e o amor incondicional que recebemos de nossos tão amados chihuahuas. Viramos criança, viramos mães de cachorro, esquecemos da vida, para nós só tem um assunto : nossos amados Chis!

E dia 26 de maio tem mais!!!!!


quinta-feira, 9 de maio de 2013


Gustave Of Uttopia Dream e seu filho, Pasión of El Shamah

Agradecimentos a Adeline, proprietária do Ellevage Uttopia Dream, canil de origem francesa, que hoje se encontra no Brasil, que nos presenteou com Gustave, que também nos presenteou com essa graça e perfeição que é o Pasión. 
Nosso Gugu com 1 ano e 4 meses, e Pasión com 4 meses.



quinta-feira, 11 de abril de 2013

Muitos e muitos Chis!!!

Oi chihuahuólatras como eu!!!


Aqui estamos novamente de casa cheia, mutos bebês, cheios de trabalho desse que chamo o mais prazeroso dos trabalhos, lidar com vida, animais, enfim, muito felizes!

Tivemos até agora 3 numerosas crias,

Mariachi com Rick, 1 fêmea e 5 machinhos
Pierina com Alejandro, 1 fêmea e 2 machos.
E a surpreendente ninhada de Ignês, com 1 fêmea e 6 machos! Isso mesmo, foram 7 !!!!!!!!

Nossos filhotes machos estão com preço super especial, claro, devido a alta demanda, então você que sempre quis adquirir um amigo, companheiro, membro da família aproveite que nossos preços estão bem convidativos.

Entrego com 60 dias e para outros estaos com 90 dias.

Fotos de todos na página de filhotes a venda.

                                         

sábado, 30 de março de 2013

Bom dia galerinha!

Venho mostrar a vocês esse menino lindo, ele estava disponível aqui no El Shamah.



Lindo, cabeça linda, super bonzinho, olhos expressivos, um doce de menino.

Estava a venda, mas já foi vendido e entregue! Foi para o Mato Grosso!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Delicias de chihuahuas!




Não fala pra mãe que eu derrubei toda a ração do pote...

ILLANA CHEGOU!


Illana nasceu no Sul, aí cresceu no Rio na casa de meu amigo Julio Cezar... Conheci ela ano passado, quando viajei ao Rio e hospedada na casa de Julio, ela estava com 3 bbs recém nascidos.

De repente olhamos, e só haviam dois. O desespero toma conta de Julio, de mim e Noélia, que lá estava também.

E procurando como loucos pela casa, escuta-se um chorinho... Vindo do quarto.

Ela escondeu um filhote dentro do guarda-roupas, dentro do sapato do Julio!!!

Esse dia nunca vamos esquecer!!! Ufa, que alivio!!! E esse menino virou padreador do Julio!!!

      ILLANA BR LISARB

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Pasión d' El Shamah - Minha paixão!

Apresento a vocês essa coisa mais fofa, mais amada, mais minuscula e que amo tanto!






Pasión é filho de Bruninha e Gustave, nasceu minusculo, não queria mamar, aí mamou e parou de novo, foram noites dando NAN, trocando de tetinhas, mamou na Conchitta, na Soledad, na Najla ( mama até hj na mãe e na Najla que o adotou).
Hoje, já passado 1 mês ele esta quase firme e quase forte !!!  rsrs
Já come ração seca, brinca, é o orgulho da vovó aqui!!!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Um olhar, um sentimento... Um adeus...


Sem muitas palavras, esse foi o dia que Shakira foi embora...







E EU FOTOGRAFANDO ISSO TUDO... E CHORANDO...

O AMOR ENTRE UM CHIHUAHUA E UM PITBULL...

sábado, 19 de janeiro de 2013

Eu e Kaio


Um trabalho belíssimo de Johny Duarte.


Eu e meus primeiros chihuahuas!





Eu, Kaio, Najla, Matilda, Alejandro, Aloha e Conchita

Casa cheia novamente!



CASA CHEIA É UMA DELÍCIA, LOGO ESTARÃO CORRENDO PELO NOVO QUINTAL, DESCOBRINDO TUDO, E GANHANDO O MUNDINHO DELES, TÃO PEQUENINOS, TÃO AMADOS...
ESTES SÃO ALGUMAS DE NOSSAS PRECIOSIDADES






Atenção ! Novos contatos !

Novos Telefones do canil El Shamah


11 4812 3780
11 9 8084 1102 OI
11 9 6085 4090 CLARO
11 9 8586 2421 TIM

Casa cheia!

 

    Nossos bebês já estão mocinhos, comendo ração seca, saindo das caixas e mamando nas mães e tias! Aqui todo mundo mama onde quer! kkk
   Drika como é mais velha, qualquer um para ela é filho.
Ruanita que tem essa como sua segunda cria já é possessiva... Mas quer se apossar dos filhotes da Drika e acho que isso não vai dar certo! kkk

   Já latem, rosnam, brincam de morder e eu não faço mais nada da vida, mergulhada no meu mundo, dentro da maternidade como se os filhos fossem meus.

    E nessa altura já começo a pensar, eles indo embora e falo, para mim quanto mais próximo dos 2 meses deles eles forem, menos sofrido para mim, e para eles também, já que no meu caso vendo chihuahuas para companhia, para criação temos que esperar a formação quase final para afirmar que será ou não um bom padreador ou uma boa matriz... Mas aguentar e perder essa fase de cãozinho bebê é um sofrimento!

Quem canta seus males espanta ! Lalalaaa

Olá amigos chihuahuólatras!




                  Como alguns já sabem, além de mãe, esposa,  mãetorista, mãe de cachorro, parteira e administradora de lar, também trabalho fora...
                  E minhas manhãs são os momentos que tenho com meus chis, antes de eu ir trabalhar, só solto eles na chácara quando estou de folga, a cada 4 dias solto dois  dias seguidos,  por vários motivos, mas o principal é a segurança deles, pois aqui é muito grande, apesar de ser toda fechada.

                 Enfim, sei que sofrem a minha ausência, sinto isso quando vou lavar o canil de manhã, assim que abro a porta ( canil , modo de falar, eles tem uma casa de 3 cômodos e banheiro, onde morava o antigo caseiro) eles ficam desesperados, e alguns latem demais. Isso não é comum no chihuahua, mas tenho 3 aqui que o latido entra na minha mente.
Soledad, Mariachi e Alvin, este último uma coisinha tão minuscula e tão ardida...
Só param quando eu os pego no colo, mas não posso limpar o canil com os 3 no colo ( acho que vou usar um canguru! rs).



                  Essa semana, porém , após eu acordar com um humor incrível, entrei no canil cantando. E qual minha surpresa? Os latidos cessaram e notei claramente que estavam prestando atenção em mim, como que hipnotizados! Sem latidos, só a minha voz ecoava desafinada cantando "Metal contra as nuvens" de Legião Urbana.
                  Aí fui trocando meu repertório kkk, passeei pelo rock, pelo sertanejo universitário e gospel. Aproveitei e louvei ao Senhor em alto e bom som! Lavando o canil e abençoando meus amadinhos.
                  Musica é sempre bom, alegra a alma, e acalma chihuahuas!!!


Chihuahua merle, cor não aceita pelo padrão CBKC no Brasil, fujam!!!
 Minha próxima idéia é colocar musicas para tocar enquanto eu não estou... O que acham?

Maio frio...








    O frio está chegando... De agora em diante, não poderei mais soltar a criançada em qualquer dia, só quando aparecer um solzinho.
    Adoro vê-los  correndo, desafiando os 2 pastores alemães do vizinho, rolando no campo, mas agora serão cada vez mais raros esses momentos...
    Além dos chis, tenho aqui uma teckel ( salsicha) a Tita, a Lolla Lollypop minha pit bull e a Pâmela, uma pug , meu Deus, como é terrível, ela acha que é o Marley.

Da série : Eu quero! Já comprei o meu!!!







Que tem dono de cachorro que trata a "coisinha fofa da mamãe" como um filho, ninguém duvida. Agora, o mimo chegou a um novo nível. Pelas calçadas das cidades, donos estão circulando com seus totós dentro de... carrinhos de bebê. Lançado por uma empresa de São Paulo, o Pet Car ganhou as ruas principalmente no Rio de Janeiro, onde é mais popular. O carrinho chega a custar R$ 450. A novidade conquistou anônimos e artistas como Xuxa, flagrada passeando com seu yorkshire num desses bólidos. O carrinho lembra os produzidos para bebês, mas é feito especialmente para filhotes de quatro patas. Mais alto, para que o dono possa brincar com o docinho querido do papai, tem também amortecedores para evitar balanços mais fortes que possam enjoar o cãozinho. Ainda conta com uma almofadinha bem fofa para a sonequinha. Porque ninguém é de ferro.




Lojas para produtos caninos nos Estados Unidos e na Europa vendem dezenas de modelos de carrinhos. A empresária Margareth Monteiro, que lançou o equipamento no Brasil, diz que sofreu rejeição no início. “As pessoas pensavam que cachorro não precisa de carrinho porque pode andar na coleira. Mas eles foram compreendendo, porque hoje em dia cachorro não é mais bicho, é um membro da família”, disse Margareth. Ela afirma que o veículo é ideal para cães velhos, que se cansam facilmente ao caminhar (ainda não inventaram bengalas para cachorros), com doenças motoras, dores na coluna, problemas no coração, e filhotes que ainda não podem ir para o chão, porque não tomaram todas as vacinas. “Claro que tem gente que compra por mimo mesmo”, afirma.
Margareth vendia roupas para animais e teve a ideia por causa de sua cachorrinha poodle, que tem problemas cardíacos. Ela levava a cadelinha no colo a todo lugar, mas aí era a dona que ficava cansada. “Cinco quilos no braço, depois de meia hora, viram 20 quilos.” Ainda assim, Margareth fazia um esforço por causa da retaliação da cadela: “Quando saía de casa e não a levava, ela se vingava: fazia xixi no meu travesseiro”. Cinco protótipos depois, nascia o carrinho. Hoje, a empresa deixou as roupinhas e só trabalha com os veículos. Margareth patenteou a invenção em 2003 e já exporta os produtos.
A moda pegou depois que a apresentadora Ana Maria Braga apareceu com sua cadela Belinha na TV usando um carrinho. A empresária Tatiana Pansini adotou o carrinho para Jodie, uma fêmea de maltês. “No shopping é bom porque ela não faz coisinha no lugar errado. E é um charme, né?”, diz. A cadela até dorme dentro do carrinho, em casa. “Muita gente pensa que é frescura, mas minha cadela Martini precisa do carrinho porque tem um problema na bacia e não pode andar muito”, afirma a professora Sandra Silveira, dona dos pugs Skol e Martini. Skol, que não é bobo, mesmo sem problema algum também faz questão do carrinho.



Especialista em comportamento canino, Claudia Pizzolato diz que o carrinho deve ser usado com parcimônia e jamais substituir a caminhada. “O carrinho é útil para donos idosos. Um cachorro saudável deve ir no chão. Mesmo cães com dificuldade para andar devem ser estimulados. Para eles, é importante cheirar, marcar território, ter contato direto com outros cães e fazer exercício”, afirma. Claudia, também dona de uma loja de produtos para animais, decidiu não vender o carrinho. “Existe uma tendência de humanizar o cachorro. De tratá-lo como um bebê. Isso é péssimo para o animal, porque ele vira um cachorro que não é cachorro e, ao mesmo tempo, não é gente. Ele fica num limbo.”

Chihuahuas Tea cup - perigo!!!



O padrão da raça oficial AKC, descreve o Chihuahua como um cão de pequeno porte, que vem em duas variedades ou pelagem. A diferença na pelagem (pelo longo e o curto/batido) é a única descrição oficial usada para identificar a diferença dessa raça.
 Nosso padrão não categoriza o Chihuahua por tamanho.
Com o propósito de mostrar e manter registro, o Kennel Club Americano inclui o Chihuahua (juntamente com outras 19 raças) no Grupo Toy (Brinquedo). Portanto independente do seu peso ou estatura física, TODOS os Chihuahuas registrados no AKC, são considerados uma raça de cão TOY.
Como todas as coisas vivas, haverá a variação de tamanho entre cada cão dessa raça. Olhe para dentro da família humana – irmãos e irmãs são diferentes em altura e peso, como também outros atributos físicos. Eles são descritos como humanos, macho ou fêmea, e há raramente ou nunca a necessidade de quebrar a descrição que segue abaixo. O mesmo é verdadeiro em relação ao Chihuahua; eles são Chihuahuas – Pelo Longo/ Pelo Curto!
Infelizmente, os adjetivos adicionais para usados para descrever as diferenças de tamanho e aparência física são muitos e tem sido utilizado indevidamente por tanto tempo que agora parecem legítimos. Xícara de Chá, Tamanho de Bolso, Brinquedo Minúsculo, Miniatura ou Padrão – são apenas algumas das muitas definições e etiquetas que foram anexadas a essa raça ao longo dos anos.
O Club of America está preocupado que esses termos possam ser usados para atrair potenciais compradores, pensando que os filhotes descritos dessa forma são de maior valor monetário. Eles não são, bem como a utilização destes termos é incorreta e enganosa.
Ocasionalmente dentro de uma ninhada, pode vêr um filhote de tamanho menor. O filhote é um pequeno Chihuahua, e qualquer outra descrição não é correta. Anexar qualquer um desses rótulos adicionais para um filhote em particular, é para deturpar que o Chihuahua é algo raro ou excepcional, causando uma enorme confusão entre aqueles novos criadores que estão à procura de um Chihuahua.
O Clube de Chihuahua da America não endossa e tampouco condena o uso desses termos e adverte o comprador de filhotes, para não ser enganado por eles.
Reconhecemos que muitos criadores/simpatizantes de Chihuahuas queiram o menores filhotes. Enquanto eles são adoráveis e podem ser perfeitamente saudáveis, o comprador dever ser advertido quanto ao cuidado extra que pode ser exigido em relação a sua saúde e bem-estar.
Cuidado, para não ser enganados por eles.

Fonte : Matriart LG

Doeu...

Aloha foi embora domingo 11.03.2012, um misto de missão cumprida, arrumei um lar digno para ela, onde vai ser amada, mimada, com tudo que qualquer cachorro merece e muito mais... Mas me falta o ar.
Por que fico assim? Ficou comigo durante 6 meses e 6 dias...
Ninguem estava na minha porta me esperando de manha, já que o portão do canil não segurava Aloha...

Mas ela está muito feliz com sua nova familia, né Patricia!!!


Aloha



Aloha, é nosso macote, nasceu miuda demais, achávamos que não sobreviveria, mas aí está ela, no alto de seus 1kg apenas de peso. Forte, saudável , cheia de vida e de valentia.
Valentia? Enfrenta Rottweiller, Pastor alemão, adora avançar em cachorros grandes ( pequenos e médios também...)  e atrai risos toda vez que faz isso.
 A verdadeira baixinha encrenqueira, com toda essa doçura na palma de uma mão.

Aloha  - significado curioso.

Na língua havaiana Aloha significa muito mais do que "alô" e "adeus" ou "amor" . Seu significado maior é: compartilhar (alo) com alegria (oha) da energia da vida (ha) no presente (alo)”.
Ao compartilharem essa energia, vocês se tornarão conectados ao Poder Divino que os havaianos chamam de mana. E o uso amoroso deste Poder incrível é o segredo para se obter saúde, felicidade, prosperidade e sucesso verdadeiros.  

Ai como eu amo!

Thoooorrrrrr

Thooooooorrrrrrrr!!!

Esse grito ecoou na minha vida por 11 anos, Thor arrancando as roupas do meu pai do varal, Thor comendo minha sandália Dakota caríssima que deixei na porta, Thor estraçalhando meu celular star tac...
Mas como eu o amava... Leo tinha 4 anos quando me pediu um dálmata, eu queria uma fêmea, e fui a um canil no bairro de Caxambu em Jundiaí, onde ele me escolheu. E foram 11 anos ...

Cheio de personalidade, cheio de histórias, cheio de filhos espalhados por aí. Há dois dias vi uma filha dele. Igualzinha...

Lembro do dia que ele escapou junto com a Pinga, outra dálmata, apareceu em casa cada um com uma galinha de angola da vizinha na boca, e atrás deles a vizinha furiosa querendo ressarcimento...

Tinha uma paciência com os chihuahuas, não sei se é sabedoria da idade, ou consentia as brincadeiras porque não tinha forças para escapar. Nunca nem sequer rosnou para os menores, mas chorava quando Conchitta mordia suas orelhas.

Julho de 2011 foi quando nos vimos pela última vez, abri o portão para entrar com o carro e este escapou e veio como um tiro. Ele fazia isso sempre, mas naquele dia meu coração me avisou que não voltaria. Fiquei horas esperando, acordada na madrugada gritando Thoooorrrrrrrrr. Tento me convencer que está com alguém, em algum sitio, mas sei que ele se foi.



O início da minha paixão

Olá,
quero contar a vocês um pouco da minha história, não sei realmente onde iniciou essa paixão,  mas já tive tudo que é bicho em casa!
Desde galinhas, coelhos, periquitos, maritacas, esquilo, tartarugas, jabuti, peixes, sempre criávamos animais em casa, mesmo morando na cidade, e éramos tão felizes.
Mas a gente cresce, pensa que tomou um rumo na vida, quando somos surpreendidos pelas doenças da vida moderna, correria, responsabilidades, ansiedades e enfim : Sindrome do Pânico.
Sim, fui vítima desta doença, que hoje como tudo na minha vida serviu para me deixar mais forte, o que não me mata me fortalece.
Nesta época em que já não conseguia pisar para fora do portão de casa, trabalhar já era impossível para mim, apareceu na minha vida a Conchitta. Uma coisinha tão pititica, tão frágil, que me fazia ficar horas olhando, como que hipnotizada e como numa sintonia só nossa, eu me desligava de meus problemas, esquecia que eu tinha que reagir, esquecia as cobranças.
E como a vida também é feita de descobertas, descobri que chihuahua vicia. Isso é fato. Então veio Alejandro, Soledad, Boninha, e um dia meu marido me disse o que eu ainda não havia percebido, que quando eu estava com eles eu sorria. Apenas eles me deixavam escapar dos lábios meu antes tão facil sorriso.
 E  como a vida é feita de escolhas, eu escolhi ser feliz, eu escolhi a cura, eu escolhi amar.
Hoje não sei se estou totalmente curada, mas já não tomo nenhum remédio, nenhum.

E aqui estou, iniciando meu blog, onde contarei um pouco da minha vidinha com meus cães, todos, pois além de chihuahuas tenho como companheiros uma teckel que se acha PittBull, e uma bebê de Boxer, que quando parar de destruir meus tapetes, e tomar juízo será minha cão de guarda...

Também colocarei aqui matérias que li e leio na internet, onde pesquiso muito sobre a raça, para poder melhorar minha criação e manter os padrões da raça.

Sejam bem vindos e aguardem novas postagens!